O desafio de ensinar inglês no Brasil

Se você é professor de inglês no Brasil, deve está agora balançando a cabeça concordando com o título desse artigo pensando, “I’ve been there” ou “Tell me about it!“.

Se você é um estudante de inglês, deve pensar que o difícil mesmo é aprender inglês, ao invés de ensinar. Não vou tirar sua razão. Aprender inglês não é fácil, “trust me, I’ve been there!“.

Porém, quero chamar a atenção tanto para os professores quanto para os aspirantes a professores e até mesmo aos estudantes de inglês, que juntos podemos transformar o desafio de ensinar/aprender inglês em uma atividade de conquista e prazerosa.

 

## Preparei um artigo focado no desafio que os alunos  enfrentam também, já estive dos 2 lados, assim que terminar de ler esse vai lá no O desafio de aprender inglês e divirta-se.

 

Grandes conquistadores tiveram êxito nos seus feitos porque tinham um hábito comum e eficaz. O ato de planejar! O planejamento é essencial para o sucesso em qualquer campo da sua vida e é a habilidade que vai te distinguir entre os vencedores dos fracassados. O planejamento é algo que já falamos bastante aqui no Inglês na Rede.

Vamos ver o que o professor deve fazer para ser bem sucedido nas suas aulas e como podemos identificar um bom profissional e/ou uma boa escola. Ahhh … daqui a pouco eu vou falar o que você como aluno deve fazer também, sai daí não.

 

Professor de inglês profissional

Todas as profissões estão fadadas a ter excelentes profissionais e péssimos profissionais. Isso não é uma maldição do professor de inglês não, todo lugar tem gente que faz um bom trabalho e aquele que deixa a desejar.

Como descobrir quem é quem?

Assim como separar o joio do trigo era algo que só poderia ser feito com o passar do tempo, descobrir quem é o profissional do amador pode levar tempo. Mas tenho algumas dicas para já de início descobrir se o seu professor (ou a escola que o emprega) está sendo profissional com você.

Lembre-se que é de extrema importância você pagar por um serviço de qualidade, principalmente o de ensino. Aprender algo errado e depois ter que corrigir reaprendendo dá dor de cabeça, gasta seu tempo e principalmente o seu dinheiro. Você quer isso? Não? Então presta atenção nas dicas que vou te dar agora.

Como identificar professores profissionais?

 

Profissional com certificação

Sim, quero ver o papel e a instituição que lhe certifica que és apto para exercer sua profissão.

Lembro-me de uma querida professora perguntando-me se eu iria cortar meu cabelo com um veterinário. Eu assustado perguntei o porquê da indagação tão inusitada. Logo descobri que estava sendo objeto da introdução da aula sobre certificações e a importância das mesmas. Ela continuou dizendo que não é só porque um veterinário corta a tosa ou os pelos dos animais que o qualificará para cortar o cabelo de um humano.

Confiaria você entrar numa sala de operação com um médico não formado? Uma enfermeira que exerce a profissão por hobby? Um dentista de animais? Por que então confiar seu cérebro, sua capacidade intelectual para alguém sem preparo?

Aquela aula foi esclarecedora e marcante. Sempre vou optar pelo profissional capacitado e formado. Infelizmente, nem todo mundo pensa assim ou sabe distinguir quem é capaz ou não, logo temos campos para alunos que não aprendem e pseudo professores que fingem ou tentam ensinar.

Recomendações de professores são valiosíssimas. Conhecer ou conversar com ex-alunos e alunos atuais sobre os resultados de um professor é muitas vezes mais importante do que pilhas de certificados. Se o aluno está se comunicando, passou na prova e se deu bem lá fora esse professor e aluno fizeram juntos algo que deu certo e essa recomendação deve ser levada em conta.

Um bom profissional prestador de serviços se mantém no mercado pelo bom serviço prestado, tente identificar isso ao escolher seu professor. Além dos certificados e recomendações; O que mais vale a pena levar em conta ao escolher um professor?

Vamos por partes para entendermos melhor… O professor de inglês da rede pública ou privada do ensino médio só pode exercer sua profissão com uma licenciatura em Letras (ou especialização de nível superior). Essa licenciatura lhe forma como docente e como usuário técnico da língua inglesa. É um profissional que vai lhe ajudar a passar em uma prova, interpretar um texto e lhe dar conhecimentos em literatura e cultura. Irá aprender a falar  e se comunicar claramente com o inglês oferecido na escola pública e privada? Dificilmente.

Dessa maneira os centros de idiomas lhe ajudarão a adquirir a fluência necessária para falar e ser compreendido. Preciso de Letras para ensinar nesses centros? Não. Diferente das escolas de ensino médio que são assistidas e autorizadas pelo MEC (Ministério da Educação), um centro de idioma não tem tal apoio ou reconhecimento. Talvez você não saiba, mas aquele diploma que o centro de idioma lhe confere não tem validade alguma e não é reconhecido pelo MEC.

Cursos de Língua Inglesa são identificados como cursos livres, não há supervisão pedagógica de nenhum órgão, se você não aprender não tem para quem reclamar.

O PROCON (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) lhe ajudará em abusos referente a comerciais, propaganda ou contratos abusivos, mas não na questão pedagógica. Diferente de um curso reconhecido pelo MEC que pode perder sua autorização caso haja falhas no ensino.

“OHH quem poderá me defender?” Apenas você com seu bom senso… nem o Chapolin te ajuda nessa.

Ao escolher um centro de idiomas, verifique a formação dos professores. Que formação? Você não disse que não precisa de Letras?

Existe formações e certificações voltadas especialmente para profissionais autônomos e em centros de idiomas. O melhor de tudo é que tais certificações são na maioria das vezes reconhecidas internacionalmente por órgãos respeitados no mundo todo.

Você pode ter a chance de estudar com um professor com uma certificação conferida pela Universidade de Cambridge ou Oxford. Olha ae que chique! Mais chique ainda é saber que somente quem sabe mesmo e foi aprovado é quem recebe esses certificados.

Ficou curioso quais são essas certificações? Temos um artigo explicando uma por uma: Certificações internacionais!

 

Escolas que Investem no Professor

Professores que trabalham nos centros de idiomas recebem incentivos das escolas tais como aumento de salário ou hora trabalhada, descontos em cursos preparatórios, materiais gratuitos e muitos outros benefícios, caso o mesmo busque capacitação profissional.

A escola que prioriza e ajuda o profissional a adquirir as certificações tanto de proficiência na língua como metodológicas devem ser a escola escolhida por você.

Na hora que for fazer a entrevista e escolher uma escola para estudar, você estudante deve perguntar não só a formação pedagógica dos professores, mas o que a escola oferece para os professores em termos de plano de carreira ou incentivos quanto à profissão. Fuja de escolas que não valorizam o professor e mantém empregados horistas ou aqueles que estão “quebrando um galho”.

O barato sai caro e se não pesar agora no seu bolso vai pesar em breve. Muitos dos problemas do ensino do inglês no Brasil são fruto de escolas com métodos precários, professores sem formação que estão lá “fazendo bico”. O mesmo bico de choro que você vai fazer quando não passar em uma entrevista ou prova.

“Professor que dá aula como bico hoje, resulta no bico de choro do aluno de amanhã.”

Falar inglês ou morar no exterior por alguns meses não habilita ninguém a ensinar. Vai tentar ensinar português para um estrangeiro, faz ele passar numa prova de proficiência de língua portuguesa e depois vem falar comigo se você conseguiu sem ter preparação adequada.

Esses wannabe professores só existem por que o aluno não sabe escolher ou não quer pagar por alguém qualificado. É meio cultural o brasileiro não investir na sua educação que lhe dá resultados a longo prazo e investir no curto prazo, muitas vezes no entretenimento que é imediato.

Há também o saudosismo pelo estrangeiro, o culturalismo de que o que vêm de fora é melhor. Cuidado com isso! Recomendo a leitura do livro A Elite do atraso – Jessé Souza. Ele irá te ajudar a entender a origem desses pensamentos e o perigo de tal comportamento.

Muitos não pagam um curso com retorno garantido mais caro, mas pagam o abadá, shows, churrascos e bares. Pra que pagar mais caro sendo que a escola do curso de computação dá o inglês de graça? Só os que quebram essa corrente conseguem de fato obter sucesso na aquisição da língua.

 

Aulas Particulares e YouTubers

Aulas particulares se tornaram um grande refúgio para profissionais qualificados. Sair da escravidão dos centros de idiomas que não lhe oferecem condições de trabalho, salário adequado e nenhum incentivo para ter seus próprios alunos (grande maioria interessados em aprender) é um alívio.

O professor particular deve ser tão qualificado quanto o professor do centro de idiomas. Diria que deve ser até mais qualificado por lidar com o ensino 1×1. O professor particular se adapta à realidade do aluno e passa a ser não só um professor, mas um coach (treinador, orientador) que terá condições de personalizar o ensino e aprendizagem de acordo com a personalidade, história e vivência do aluno.

Hoje graças a tecnologia podemos ter acesso a aulas à distância, aulas gravadas, blogs e artigos na internet pagos ou de graça. Dá para se perder de tanta informação. Vou te dar uma mãozinha tá bom…

Você já entendeu que tanto o professor na escola quanto o particular devem ter formação para lhe entregar o que é prometido. As informações e aulas na internet podem e devem ser levadas tão a sério quanto as foras dela.

Esquece aquele papo que de graça até injeção na testa quando se refere a conhecimento. Se não for embasado, se não for com referência, pode mais atrapalhar do que ajudar.

Procure por blogs, canais do YouTube e professores particulares que tenham conhecimento comprovado. Eu sempre vejo qual é a formação, o que a pessoa estudou para ligar uma câmera e ensinar inglês.

A triste realidade é que até os que têm certificações erram feio e só querem vender o curso ou um e-book. É triste ver o material de alguns professores que conseguem vender para milhares de pessoas enganadas com gritos e estratégias de marketing.

YouTubers que ensinam inglês são de grande ajuda. Eu assisto e recomendo vários vídeos e canais. Mas cuidado com os “gringos” que tentam ensinar inglês sem nenhum conhecimento pedagógico. Já vi cada vlog de cara loiro de olho azul que tenta explicar, mas não explica nada. Mais uma vez para você não esquecer, não é porque sei falar a língua que sei ensinar. Até o mendigo de NY sabe falar inglês.

 

Dados todos os pontos citados fica claro que um dos maiores desafios de ensinar inglês no Brasil é o de saber escolher onde e com quem trabalhar. São tantas opções e oferta que escolher o mais conveniente e barato nem sempre será a melhor escolha.

Espero ter ajudado com as dicas e com os links dos artigos e me conta ae o que achou de interessante o que você concorda ou discorda nos comentários.

Compartilhe com os amigos e bons estudos!

Assine nossa Newsletter

Se junte a outros estudantes de inglês iguais a você e assine a newsletter para receber
artigos do Almanaque, perguntas da Sala e ficar informado da publicação de novas dicas de inglês.

Você precisa está logado para deixar um comentário. Ainda não é membro, faça parte, é gratuito! :D

Logar ou Seja PRO ➜